Notícias

Programação de aniversário dos 15 anos do Grupo Diversidade Niterói começa com exposição no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno

Publicado em:

Nosso mandato foi conferir ontem (17), no Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, no Campo de São Bento, a abertura da Exposição 15×15, que relembra os 15 anos de história do Grupo Diversidade Niterói (GDN). O vereador Leonardo Giordano é um dos membros-fundadores do Grupo e autor de diversas leis que fortalecem a população LGBT, como a que institui o 24 de janeiro como o Dia Municipal de Luta Contra a Homofobia (Lei 2.469/2007). O Grupo também é considerado Patrimônio Cultural Imaterial da cidade por meio da Lei 3.091/2014, de nossa autoria.

“Uma das coisas que mais tenho orgulho na minha trajetória é ter sido um dos fundadores do GDN. Quando começamos a lutar pelos direitos dessa população, a cidade ainda tinha pouca tradição de organização. Tanto assim que a Parada do Orgulho LGBT de Niterói foi a segunda do Estado do Rio a surgir, há 14 anos. Realizamos muita coisa boa de lá para cá, conquistamos leis, criação de órgão público municipal (Codir) e abertura de serviços assistenciais, como o ambulatório para atendimento de pessoas trans e outras iniciativas importantes. A cidade também sediou o Encontro Nacional de Cultura LGBT e foi escolhida, pelo Governo Estadual, para receber um Centro de Referência para toda a região”, diz.

Presidente do GDN, Felipe Carvalho reconhece o papel do Leo nessa trajetória de luta, militância e conquistas. “Dentro desses 15 anos uma figura muito importante é o vereador Leonardo Giordano, que além de membro-fundador do Grupo, é o parlamentar que luta pelas nossas causas no parlamento de Niterói”.

Diretor do Centro Cultural Paschoal Carlos Magno, Gregory Combat, destaca a importância da galeria de arte receber e contar a narrativa dos 15 anos do GDN. “Super importante e urgente estarmos recebendo a exposição do GDN em um tempo onde o Governo do Estado censura e limita exposições que atravessam o corpo das pessoas. A gente recebe as conquistas e lutas que não são só no pleito artístico, mas no pleito da cultura e da cidadania, do social. Trazer isso para a Galeria de Arte, com recorte histórico do que aconteceu em 15 anos, é muito importante. Não é à toa que a exposição traz uma linha do tempo com as conquistas no campo legislativo através de leis que legitimam a vida e o amor das pessoas. É o que estamos celebrando aqui nessa linda exposição desse grupo incrível”.

Victor de Wolf, membro-fundador do GDN, resumiu os 15 anos do Grupo na seguinte frase: “Sem dúvida nenhuma, Niterói é outra cidade depois desses anos de militância e luta pelos direitos da população LGBT”. Ele disse que a ideia é celebrar pelos próximos 15 dias e já convida para a sessão solene que acontece no dia 24, às 18h, na Câmara Municipal. “Espero que todo mundo participe. É um orgulho enorme ajudar a contar essa história e estar ao lado de todas as pessoas que ajudaram a fundar o GDN e que continuam na luta”.

Bruna Benevides, presidente do Grupo Transdiversidade Niterói (GTN), diz que é simbólico, 15 anos depois, estarem em Icaraí abrindo esse mês de festividades, principalmente de um grupo que nasce movido pelo combate à violência. “Hoje estamos ocupando um importante aparelho da cidade, no coração do Campo de São Bento, trazendo essa visibilidade positiva de todas as conquistas e avanços que a população LGBT de Niterói têm tido através do trabalho do GDN. É muito importante nós estarmos aqui não somente hoje, pela abertura da exposição, mas durante todo o ano, com diversas ações”.

Vinícius Coelho, representando o subsecretário Gilmar Hughes, da Coordenadoria de Defesa dos Direitos Difusos e Enfrentamento à Intolerância Religiosa (Codir), órgão que surgiu através de demanda do GDN para minimizar a homofobia e a transfobia no município, fala sobre a conjuntura política atual. “Infelizmente, com esse novo governo, ainda que esteja no início, é nítido o aumento do número de casos de violência contra a população LGBT. Inclusive esta semana recebemos o caso do rapaz gay que foi espancado e xingado dentro do terminal de ônibus de Niterói. Já começamos a sentir os reflexos aqui no município e estamos nos preparando para fazer o necessário enfrentamento”.

Confira a programação, gratuita, que vai até o dia 31 de janeiro!

Sábado (19) -  Música na Varanda, com Rafaela Torres e Banda. Um show com músicas cantadas e/ou compostas por mulheres. Local: CCPCM, Campo de São Bento, às 11h

Domingo (20) -  Contação de histórias, com os atores Juliano Antunes e Eleusa Mancini. Privilegiará as narrativas que transbordam os modos de ser e de pensar, geralmente descritos nas histórias infantis. Quais personagens não são lembradas? O que elas podem nos ensinar sobre diversidade? Local: CCPCM – Campo de São Bento, às 11h

Terça (22) – Reabertura da sede do GDN. O local foi repaginado para receber ainda melhor os militantes, frequentadores e os projetos que o grupo desenvolve. Um ambiente mais acolhedor e seguro foi pensado, a nova sala Miguel Macedo e também uma galeria de exposição para o Centro de Cultura LGBT Prof. José Carlos Barcellos. Local: Sede do GDN. Av. Visconde do Rio Branco, 627, sobreloja, Centro, Niterói. Às 18h.

Quinta (24) – Dia Municipal de Luta contra a Homofobia: 50 anos de Stonewall, 40 anos de movimento LGBTI nacional, 15 anos de GDN. Sessão Solene na Câmara de Vereadores debatendo a história e os rumos do movimento LGBTI. Após a sessão, será servido o coquetel de aniversário no saguão de entrada. Local: Câmara de Vereadores de Niterói, às 18h.

Sábado (26) -  Encontro da ABGLT/RJ + Curso de militância LGBTI. Para quem sempre teve vontade de entender e aprender mais sobre as/os LGBTIs e nunca teve a coragem de perguntar. E também quem tem vontade de lutar por seus direitos assim como de toda uma comunidade. Durante uma tarde inteira, junto com o curso, o evento receberá militantes dos grupos organizados de estado e lideranças nacionais para o encontro da maior rede LGBTI da América Latina e Caribe, a ABGLT. Local: Caminho Niemeyer, das 14h às 20h.

Sábado (26) -  Cincelube Transviadão – Edição especial cine catuaba. Fechando as atividades do curso de formação e do encontro da ABGLT/RJ, uma edição com a exibição de curtas LGBTIs. Ao longo da exibição, serão distribuídos shots de catuaba e, após o filme, um DJ comanda um fervinho pra animar o começo da noite. Local: Teatro Popular – Caminho Niemeyer, às 19h.

Quinta (31) -  Queen, a nova cena drag – 2ª Edição + Festa Fervo. O evento vai escolher a drag mais “arrasadora” e desconstruir estereótipos.  Local: Teatro Popular, às 19h

COMPARTILHAR: