Notícias

Ao som de Bob Marley, Câmara faz sessão solene em homenagem ao Reggae

Publicado em:

O Dia Internacional do Reggae (01 de julho) foi celebrado na Câmara Municipal de Niterói com homenagens a nomes que contribuem para o desenvolvimento do reggae na cidade. Mais de 20 pessoas receberam moções de aplausos do mandato do vereador Leonardo Giordano (PCdoB), dentre eles Marcelo Tristão, conhecido como Marcelo “Banana”, vocalista da banda Canamaré, uma das principais bandas de reggae do Rio de Janeiro, que em 2018 completou 21 anos. Outro homenageado foi Mario Seixas, vocalista da extinta Bagabalô, banda que excursionou por quase todo o estado do Rio de Janeiro, além de ter passado por Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Maranhão. Completando 25 anos de carreira e com um novo projeto, o grupo de reggae “Mario Seixas & A Banda”, Mariozinho, como é conhecido, segue acreditando e defendendo com comprometimento a musicalidade e a mensagem recheada de inclusão social e espiritualidade do reggae.

Outros nomes importantes para o fortalecimento e a continuidade da cena do reggae no município e no Estado também foram homenageados, como: Camilla Cidade, Clara Paixão, Daniel Wilges Quintão (Daniel DW), Daniel Drago, André Souto Maior (DJ Andread), Fábio Perez Muniz, Marcelo Nestler, Careca Camilo, Maurus Maciel, Zeco Passos, Marcelo Gonçalves Brandão (Martcholo), Paulinho Ganaê, Pedro Caetano (Pedrada), Wagner Franco, Carlos André Martins (Kid Mumu), Maurício Bongo, Junior China, Ubaldino Raimundo Pereira, Ubirajara Nascimento da Silva (Bira Rasta), in memoriam, Josael Guimarães, Carol Aranha, Paulo Junior, Davi Damasceno, Flávio Raggaman, Renzo Goldoni, Rodrigo Wermelinger e João Pompeu.

O Dia Internacional Reggae foi inspirado por Winnie Mandela - enfermeira, política e ativista sul-africana – durante sua visita oficial à Jamaica em julho de 1991, logo após a libertação de seu marido, Nelson Mandela. Winie falou do poder do reggae através das obras de Marley, Peter Tosh, Jimmy Cliff e outros, para inspirar as pessoas da África do Sul em face do regime de Apartheid. No Brasil, o reggae é celebrado no dia 11 de maio. A data foi decretada e sancionada na Lei 12.630/2012 assinada pela então presidenta Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores. O texto distribuído pelo Palácio do Planalto dizia que nesta data “se homenageará o ritmo musical difundido mundialmente por Robert Nesta Marley”. Em outras palavras, é a celebração do reggae popularizado por Bob Marley, que morreu com 36 anos em um hospital em Miami, nos Estados Unidos, em 11 de maio de 1981.

Em 2018, o reggae foi reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco, que destacou o poder de comunicação do estilo musical, que abraça desde temas ligados a combate ao racismo e opressões, até canções de amor e da celebração da natureza. “Sua contribuição para o discurso internacional sobre questões de injustiça, resistência, amor e humanidade ressalta sua dinâmica de ser ao mesmo tempo cerebral, sócio-político, sensual e espiritual”, publicou a instituição. A lista da Unesco, que conta atualmente com 430 elementos, documenta manifestações e práticas de diferentes culturas que merecem reconhecimento.

Niterói também quer garantir a celebração do reggae no calendário oficial 

Tramita na Câmara Municipal de Niterói o Projeto de Lei nº 101/2014 que institui o Dia do Reggae no município, que deverá ser celebrado em 11 de maio, acompanhando o calendário nacional. “Por entendermos a legitimidade do movimento do reggae, julgamos pertinente que esse estilo musical seja reconhecido com uma data própria em nossa cidade para que possamos reconhecer e difundir essa cultura em Niterói”, explica Giordano, autor da iniciativa.

 

 

 

COMPARTILHAR: